• Español
  • Português
Follow DNDi on Twitter
Home / Comunicação e Informação / Press Releases / Copa do Nordeste e DNDi lançam campanha contra Chagas no Brasil

Press Releases 2017

Copa do Nordeste e Iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas se unem na luta contra a doença de Chagas

  • DNDi busca melhorar a atenção prestada as pessoas atingidas pela doença – são mais de 1,2 milhão no Brasil oficialmente.
  • Novo consenso de tratamento brasileiro indica que país pode ter mais de três milhões de pessoas com a doença.

A organização internacional sem fins lucrativos Iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas (DNDi, na sigla em inglês de Drugs for Neglected Diseases Initiative) lança campanha contra a doença de Chagas em parceria com a Copa do Nordeste e uma rede de colaboradores que trabalham com a doença na região e no restante do país. A cada gol marcado na Copa do Nordeste, organizadores e parceiros farão uma doação para a DNDi. Patrocinadores, instituições e torcedores terão a oportunidade de se juntarem à campanha contra a doença de Chagas, encampada pelo Nordeste Cuida – a marca que, todos os anos, contribui com causas sensíveis à região Nordeste.

barbeironordestePara a DNDi é uma oportunidade única a parceria com um campeonato com audiência regional, mas também todo o Brasil, com a qual podemos compartilhar nossa causa em prol dos pacientes negligenciados”, celebra o diretor executivo da DNDi América Latina, Joel Keravec. Na Copa do Nordeste, vinte clubes estão em campo para lutar pela taça e marcar gols contra a doença de Chagas.

O Nordeste Cuida é uma das bandeiras mais nobres da Copa do Nordeste e, para nós, é uma satisfação enorme poder contribuir com o tratamento de Doenças Negligenciadas. Esperamos que essa ação realmente faça a diferença na vida das pessoas”, comenta Alexi Portela, Presidente da Liga do Nordeste.

A DNDi desenvolve tratamentos seguros, eficazes e acessíveis para os milhões de pacientes negligenciados ao redor do mundo que sofrem de doenças como doença de Chagas, leishmanioses, HIV pediátrico e hepatite C entre outras.

Atualmente, dados da Organização Mundial da Saúde revelam que cerca de 1,2 milhão de pessoas têm a doença de Chagas no Brasil, mas números do consenso brasileiro para a doença indicam até 3 milhões.  Em termos de produtividade econômica, a doença de Chagas representa uma perda média anual de 1,7 bilhão de dólares para o país. No Mundo, a doença de Chagas causa perdas de cerca de 7 bilhões de dólares anualmente.

"A doença de Chagas é uma das doenças mais negligenciadas do mundo e milhões de pacientes seguem ignorados, muitos morrem desnecessariamente por falta de acesso ao tratamento", lembra a diretora médica da DNDi, Carolina Batista.

A doença de Chagas

A doença de Chagas infecta cerca de 6 milhões de pessoas no mundo, a maioria na América Latina, onde é endêmica em 21 países. No Brasil, são cerca de 1,2 milhão de pessoas. Crescem também os casos diagnosticados da doença na América do Norte, Europa, Japão e Austrália.

Causada pelo parasita Trypanosoma cruzi, a doença de Chagas começa com uma fase inicial aguda, com duração de cerca de dois meses. A fase crônica e tardia, dura por toda a vida, na qual até 30% dos pacientes sofrem danos ao coração com risco de morte e até 10% sofrem danos severos ao sistema digestivo.

O parasita de Chagas pode ser transmitido pela picada do barbeiro infectado, transfusões de sangue, de mãe para filho ou de forma oral, e a doença ainda é comum na região Nordeste do Brasil.

O diagnóstico é feito por meio de um exame de sangue e o tratamento é gratuito na rede pública de saúde.

A DNDi e as doenças negligenciadas

A DNDi foi criada em 2003, mas sua origem remonta a 1999, quando Médicos Sem Fronteiras (MSF) destinou os recursos recebidos com o Prêmio Nobel da Paz à causa das doenças negligenciadas e liderou o grupo de trabalho que resultou na formação da DNDi. Entre os sócios fundadores ainda estão a Fundação Oswaldo Cruz e o Instituto Pasteur da França, entre outros.

As doenças negligenciadas afetam mais de 1 bilhão de pessoas e incapacitam ou matam centenas de milhares, representando uma necessidade médica importante que permanece não atendida. No Brasil, entre as doenças negligenciadas, a doença de Chagas é que a mais mata (76,7%) de acordo com estudos. A liderança dos países endêmicos, como o Brasil, é determinante na busca de soluções sustentáveis e duradouras. Mais informações:  www.dndial.org

Contatos de Comunicação 

Betina Moura 
Ger. Regional
de Comunicação
Tel (fixo):
+55 (21) 2529 0407
Tel (celular):
+55 (21) 981222798
bmoura@dndi.org

Termos e Condições | Privacidade | @ 2017 DNDi Todos os direitos reservados