Medtrop 2019: apresentação do estudo Bendita encerra participação da DNDi no congresso

1º de agosto de 2019

Fabiana Barreiras

A gerente de ensaios clínicos para doença de Chagas, Fabiana Barreira, apresentou os resultados do estudo BENDITA em conferência realizada no Medtrop-Parasito/ChagasLeish 2019 durante a última quarta-feira (31).

Conduzido em três centros de referência na Bolívia, o objetivo do ensaio de fase II foi melhorar a segurança, a tolerabilidade e a eficácia do Benzonidazol (BZN), fármaco já utilizado no tratamento para Chagas há mais de meio século. Participaram do estudo um total de 210 pessoas entre 18 e 50 anos, todas com manifestações da doença em sua fase crônica indeterminada.

“Cerca de 20% das pessoas infectadas por Chagas interrompem seus tratamentos por conta dos efeitos colaterais dos medicamentos. Nosso objetivo, então, foi testar vários regimes terapêuticos com BZN, tanto em dose única quanto em combinação, de maneira a encontrar uma alternativa mais curta de tratamento e igualmente segura“, explicou a pesquisadora.

De acordo com Barreira, mais de 80% dos pacientes testados em todos os regimes mostraram resposta positiva e não tiveram parasitas detectáveis no sangue ao longo de 12 meses de acompanhamento. A notícia mais animadora, entretanto, foi a eficácia de 79% no tratamento de duas semanas com BZN, sem interrupções por efeitos adversos.

“Reduzir o tempo de tratamento para Chagas de oito semanas (dose padrão) para duas poderia ajudar a eliminar uma das principais barreiras à expansão do acesso: a taxa de abandono”, resumiu.

O Medtrop-Parasito/ChagasLeish 2019 levou aproximadamente 3 mil pessoas – entre profissionais de saúde, estudantes e pesquisadores – ao campus da Universidade Federal de Minas Gerais ao longo de quatro dias de atividades.