DNDi parabeniza o Ministério de Saúde da Colômbia pelos progressos contra a doença de Chagas

Bogotá – 11 de outubro de 2019

Após a visita da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), outros 33 municípios do país receberam a certificação de interrupção da transmissão vetorial domiciliar da doença

A organização DNDi (iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas, na sigla em inglês) parabeniza o Ministério da Saúde de Proteção Social da Colômbia por ter conseguido interromper a transmissão vetorial domiciliar da doença de Chagas em mais 33 municípios do país. A certificação, outorgada este mês pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), aumenta o número de municípios que interromperam a transmissão vertical para um total de 66.

A DNDi fornece apoio ao Ministério da Saúde, o Instituto Nacional de Saúde e os governos de quatro departamento endêmicos (Casanare, Boyacá, Arauca e Santander) visando melhorar o acesso ao diagnóstico e tratamento de pessoas afetadas pela doença de Chagas através do Programa de Eliminação de Barreiras. Os resultados alcançados até o momento mostram importantes avanços, tais como um aumento no número de pessoas que têm acesso ao teste para se detectar a infecção. Em Casanare, esse aumento foi de 1300%.

“Um dos critérios que utilizamos para definir onde fazer os pilotos do programa, além da presença de casos da doença, foi a certificação de interrupção da transmissão vetorial domiciliar. Desse modo, podemos nos assegurar de que o risco de infecção será reduzido dentro das casas, e as pessoas diagnosticadas e tratadas terão um ambiente onde não voltem a ser infectadas por insetos presentes nas residências”, explica o Dr. Rafael Herazo, médico especialista em Chagas da DNDi. “Esta certificação coincide com o momento no qual estamos planejando uma expansão do projeto piloto para outros municípios e é uma boa notícia para as pessoas em risco de contrair a doença e para o futuro do programa de Chagas no país”, ele completa.