O maior ensaio clínico para tratar casos de COVID-19 antes de se tornarem graves é lançado em 13 países na África

Serão avaliados diversos tratamentos promissores com ênfase urgentemente necessária em quadros leves a moderados 

NAIROBI/KINSHASA/GENEBRA/PARIS  24 de novembro de 2020 – Treze países africanos e uma rede internacional de instituições de pesquisa uniram-se para lançar o mais amplo ensaio clínico para COVID-19. estudo ANTICOV procura identificar, com urgênciatratamentos que possam ser usados em quadros leves e moderados da doença e, assim, evitar hospitalizações em massa que poderiam sobrecarregar os sistemas de saúde na Áfricajá frágeis e no limite da capacidade. 

O ensaio clínico será realizado em 19 centros de 13 países pelo Consórcio ANTICOV, que inclui 26 importantes organizações africanas e globais de pesquisa e desenvolvimento (P&D), coordenado pela Iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas (DNDi), organização internacional de P&D sem fins lucrativos com amplas parcerias na África. 

É necessário realizar grandes estudos clínicos sobre a COVID-19 na África para responder a perguntas de pesquisa específicas ao contexto africanoexplica o Dr. John Nkengasong, diretor do Centro Africano de Prevenção e Controlo de Doenças (CDC). Os países africanos têm dado uma resposta impressionante à COVID-19 e está na hora de nos prepararmos para futuras ondas da doença. Damos as boas-vindas ao ensaio ANTICOV, liderado por médicos africanos, pois vai ajudar-nos a responder a uma das nossas perguntas mais urgentes: com instalações limitadas de terapia intensiva na África, é possível tratar as pessoas com COVID-19 mais cedo e impedir que os nossos hospitais fiquem sobrecarregados? 

ANTICOV é um ensaio aberto, randomizado, comparativo e de plataforma adaptativa que testará a segurança e eficácia de tratamentos em dois a três mil pacientes com quadros leves a moderados de COVID-19 no Burkina Faso, Camarões, Costa do Marfim, Etiópia, Gana, Guiné, Guiné Equatorial, Mali, Moçambique, Quénia, República Democrática do Congo (RDC), Sudão e Uganda. O objetivo do estudo é identificar tratamentos precoces que possam impedir a progressão da COVID-19 para quadros graves e potencialmente limitar a transmissão. 

É emocionante ver a colaboração de tantos países africanos para obter respostas tão necessárias sobre as necessidades únicas dos nossos pacientes com COVID-19diz a Dra. Borna Nyaoke-Anoke, gerente sênior de Projetos Clínicos da DNDi, que também financia ensaios clínicos na RDC, no Quénia e no Sudão. África evitou a mortalidade em grande escala vista noutros países, mas, com o fim do isolamento e a abertura das fronteiras, precisamos de estar preparados. Precisamos de pesquisas que informem as políticas e estratégias de teste e tratamento, para que, como médicos, possamos dar as melhores opções às pessoas com COVID-19. 

ANTICOV é um ensaio de plataforma adaptativa”, método pioneiro em estudos clínicos de medicamentos para câncer que permite o estudo simultâneo de vários tratamentos e agiliza a tomada de decisão. Pode-se adicionar, continuar ou interromper braços de tratamento com base na análise contínua dos resultados. 

Novos tratamentos serão adicionados ao estudo à medida que surgirem evidências do seu potencial para quadros leves a moderados. Os pesquisadores do ANTICOV estão ativamente em busca dos tratamentos mais promissores entre os esforços científicos globais em andamento com eficácia comprovada, em colaboração com a parceria terapêutica Access to COVID-19 Tools Accelerator (ACT-A), coorganizada por Unitaid e Wellcomeem nome do COVID-19 Therapeutics Accelerator. Entre as opções terapêuticas exploradas pelo ANTICOV estão medicamentos utilizados para tratar malária, HIV, hepatite C, infecções parasitárias e certos tipos de câncer. O objetivo é incluir mais braços de tratamento no ensaio ANTICOV dentro de semanas. 

Numa fase inicial, o ANTICOV vai se concentrar em medicamentos sobre os quais estudos clínicos randomizados em grande escala podem fornecer os dados de eficácia que ainda faltam em pacientes leves a moderados. O ensaio começará a testar, contra um braço de controle, a combinação antirretroviral para HIV lopinavir/ritonavir e o medicamento contra malária hidroxicloroquina, que é o tratamento padrão para COVID-19 em vários países africanos. 

O consórcio ANTICOV é uma ampla parceria que reúne líderes científicos africanos e organizações globais de P&D para responder a uma necessidade médica urgente não atendida. A colaboração é a única maneira de fornecer respostas científicas robustas a essas perguntas de pesquisa, explica a Dra. Nathalie Strub-Wourgaft, diretora de Resposta à COVID-19 da DNDiensaio foi projetado de forma a permitir decisões rápidas e flexíveis à medida que acumulamos conhecimentos. 

Todos os dados de ensaios clínicos gerados pelo ANTICOV serão integrados e partilhados de forma aberta e transparente para informar decisões de saúde pública. Serão feitos todos os esforços para trabalhar com todos os parceiros relevantes e garantir que os tratamentos comprovadamente seguros e eficazes sejam acessíveis, disponíveis e estejam ao alcance para todos. 

O ensaio foi revisto com o apoio do Fórum Africano Regulatório de Vacinas (AVAREF), uma plataforma estabelecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2006 e recentemente encarregada de agilizar as revisões dos ensaios clínicos para COVID-19. Composto por representantes de órgãos de ética e regulação dos países, o AVAREF simplifica e ajuda a acelerar as aprovações em nível nacional. 

ANTICOV está alinhado com os planos de P&D da OMS (R&D Blueprint), que visam melhorar a coordenação entre cientistas e profissionais de saúde de todo o mundo, acelerar o processo de pesquisa e desenvolvimento e elaborar novas normas e padrões para melhorar a resposta global à COVID-19. 

O financiamento principal para o consórcio ANTICOV provém do Ministério Federal Alemão para a Educação e Pesquisa (BMBF), através do banco de desenvolvimento alemão KfW, e da iniciativa global de saúde Unitaid, como parte do ACT-A. Concederam apoio inicial para o lançamento da iniciativa a Parceria entre a Europa e os Países em Desenvolvimento para a Realização de Ensaios Clínicos (EDCTP), no âmbito do segundo programa apoiado pela União Europeia e com financiamento adicional do governo sueco, e a fundação suíça Starr International. 

O consórcio ANTICOV está mobilizar uma ampla rede de parceiros com experiência reconhecida em pesquisa clínica. São os 26 membros do consórcio: 

  • Alliance for International Medical Action (ALIMA), França / Senegal 
  • Agence Nationale de Recherche sur le Sida et les Hépatites Virales (ANRS), França  
  • Universidade de Bahir Dar, Etiópia 
  • Instituto de Salud Global de Barcelona (ISGlobal), Espanha 
  • Bernhard-Nocht-Institut für Tropenmedizin (BNITM), Alemanha 
  • Centre Muraz, Institut National de Santé Publique, Burkina Faso 
  • Centre for Research in Therapeutic Sciences, Quênia 
  • Centro de Investigação em Saúde de Manhiça, Moçambique 
  • Centro de Investigação e Treino em Saúde da Polana Caniço (CISPOC), Instituto Nacional de Saúde, Moçambique 
  • Centre Pasteur du Cameroun (CPC), Camarões 
  • Centre Pour Le Développement Des Vaccins, Ministério da SaúdeMali 
  • Centre Suisse de Recherches Scientifiques (CSRS), Costa do Marfim 
  • Drugs for Neglected Diseases initiative (DNDi), Suíça – (parceiro coordenador) 
  • Epicentre, França 
  • Foundation for Innovative New Diagnostics (FIND), Suíça 
  • Ifakara Health Institute, Tanzânia 
  • Infectious Diseases Data Observatory (IDDO), Reino Unido 
  • Institute of Endemic Diseases, Universidade de CartumSudão 
  • Institute of Tropical Medicine, Antuérpia (ITM), Bélgica 
  • Institut National de Recherche Biomédicale (INRB), República Democrática do Congo 
  • The Kenya Medical Research Institute (KEMRI), Quênia 
  • Kumasi Centre for Collaborative Research in Tropical Medicine (KCCR), Gana 
  • Medicines for Malaria Venture (MMV), Suíça 
  • Swiss Tropical and Public Health Institute (Swiss TPH), Suíça 
  • Universidade de Bordeaux – Institut National de la Santé et de la Recherche Médicale (INSERM), França 
  • Universidade de Gondar, Etiópia 

 

Informações à imprensa:

  • ANTICOV – Resumo 
  • ANTICOV – Perguntas Frequentes (FAQ) 
  • Depoimentos de membros do Consórcio ANTICOV, parceiros e doadores  

 

Fotos/vídeos para a imprensa: 

https://dndi.widencollective.com/c/o78q8o6a 

 

Contactos para a imprensa 

DNDi