Intervenção da DNDi no Comitê Executivo da PAHO – Item 4.8

Item 4.8 da agenda ESTRATÉGIA PARA A CONSTRUÇÃO DE SISTEMAS DE SAÚDE RESILIENTES E RECUPERAÇÃO PÓS-PANDEMIA DE COVID-19 PARA SUSTENTAR E PROTEGER OS GANHOS DE SAÚDE PÚBLICA

A pandemia da COVID-19 continua a atingir fortemente a região e ampliou as barreiras existentes no acesso à saúde entre os países e dentro deles, particularmente entre as populações afetadas por DTN. A falta e a interrupção no fornecimento de medicamentos, a priorização limitada das atividades de atenção primária à saúde para outras doenças além da COVID-19, a vulnerabilidade social e financeira aumentaram e continuam a ameaçar a resposta às DTN.  

O acesso a cuidados para populações negligenciadas é um indicador-chave de sistemas de saúde resilientes e eficazes, visto que a persistência e a ampla disseminação geográfica das DTN apontam para uma negligência geral por parte dos sistemas de saúde das necessidades e prioridades existentes. Os Estados-membros também devem abordar o diagnóstico, o tratamento, as vacinas e outras lacunas tecnológicas que dificultam o tratamento eficaz dos pacientes e são necessários para a eliminação sustentável das doenças infecciosas.

Para enfrentar esses desafios, a DNDi insta os Estados-membros a adotarem e implementarem políticas que:

  • promovam iniciativas de atenção primária à saúde com foco na integração das DTN nas estratégias de “testar e tratar” e de prevenção da transmissão materno-infantil (TMI).
  • evitem a falta de insumos essenciais para a saúde e contribuam para a sustentabilidade dos suprimentos.
  • priorizem o investimento em P&D e desenvolvam uma agenda de inovação com foco em:
    • abordar as doenças existentes que afetam desproporcionalmente a Região, além de futuras doenças com tendência a pandemia
    • promover ferramentas de saúde projetadas desde o início para lugares e pessoas que precisam delas, para que possam reforçar os sistemas de saúde