Previsão da cura parasitológica em crianças infectadas pelo Trypanosoma cruzi por meio de um novo ensaio sorológico multiplex (Multi-Cruzi)*

A doença de Chagas (DC) atinge mais de seis milhões de pessoas no mundo. Carlos Chagas descobriu que a doença é causada pelo parasita Trypanosoma cruzi há mais de 100 anos. Graças à introdução de testes sorológicos de triagem na década de 1940, foi possível demonstrar que as infecções pelo T. cruzi na América Latina eram comuns. Apesar destas descobertas importantes e das iniciativas multinacionais em curso, os pacientes ainda não têm acesso a tratamentos com medicamentos adequados. Além disso, o aconselhamento adequado dos pacientes após o tratamento ainda é uma dificuldade. Atualmente, o consenso a respeito da cura parasitológica é monitorar a conversão da sorologia de positiva para negativa. No entanto, pode levar anos ou até décadas para se determinar a soroconversão em adultos com os testes padrão, o que dificulta a avaliação da eficácia do tratamento dentro do cenário convencional de ensaios clínicos.

Uma das maiores prioridades é o desenvolvimento de um teste que possa avaliar a cura parasitológica em tempo hábil. Usando um novo imunoensaio multiplex Multi-Cruzi, a DNDi, a InfYnity Biomarkers (França) e o serviço de Parasitologia do Hospital de Niños Ricardo Gutierrez (Buenos Aires, Argentina) mostraram que o ensaio Multi-Cruzi ELISA oferece mais clareza sobre a cura parasitológica em crianças infectadas pelo T. cruzi (Lancet Infectious Diseases: https://doi.org/10.1016/S1473-3099(20)30729-5). Para este estudo foram examinados bebês e crianças infectados pelo T. cruzi. A vantagem do estudo da
sorologia nesta população é que as crianças se tornam soronegativas mais rápido do que os adultos. Assim, pudemos observar na sorologia a cinética do declínio dos anticorpos e o possível efeito do tratamento. Mostramos que o Multi-Cruzi ELISA, graças à sua natureza multiparamétrica (15 parâmetros diferentes), fornece informações sorológicas precisas (os dados a seguir mostram uma mudança discreta, porém mensurável, na assinatura sorológica, alterações que não são detectadas por imunoensaios convencionais). Combinado a um algoritmo matemático, o ensaio Multi-Cruzi é capaz de prever a cura parasitológica em crianças infectadas pelo T. cruzi bem mais cedo do que os ensaios

O teste utiliza o conceito de “assinaturas sorológicas” e pode vir a representar uma mudança paradigmática na previsão de desfechos sorológicos após o tratamento de indivíduos infectados pelo T. cruzi. Com base nesses resultados, nosso novo objetivo é fazer a transposição do modelo preditivo aplicando-o e refinando-o para adultos, abrindo caminho para esta estratégia original de monitoramento pós-tratamento da eliminação do parasita. Estamos procurando amostras clínicas bem caracterizadas de estudos retrospectivos de acompanhamento. Como parte do programa da DNDi de identificação/validação/pesquisa de biomarcadores, estamos em contato com a Plataforma Chagas e toda a comunidade clínica e diagnóstica ligada à doença de Chagas para acessar e testar amostras de pacientes usando o ensaio Multi-Cruzi e o algoritmo de interpretação que desenvolvemos. O ensaio Multi-Cruzi será usado no laboratório de J. Altcheh a partir do 2º trimestre de 2021. Se o ensaio confirmar uma economia significativa de tempo em comparação ao método de referência estabelecido, poderá ser incluído nos protocolos de ensaios clínicos de avaliação de medicamentos em andamento e futuros.

Estamos explorando em paralelo o uso do ensaio Multi-Cruzi em animais de laboratório infectados experimentalmente e analisando se a eliminação de parasitas avaliada por bioluminescência e PCR está associada a uma diminuição da assinatura sorológica. Se os resultados forem positivos, poderiam fazer a ponte entre ensaios pré-clínicos e clínicos de novos fármacos para a DC e melhorar o valor translacional do modelo experimental da doença. 

 

*Maan Zrein, infYnity-biomarkers
Jaime Altcheh, Hospital de Niños Dr. R. Gutiérrez
Eric Chatelain, DNDi

Este artigo foi publicado originalmente no Informativo da Plataforma de Pesquisa Clínica em Doença de Chagas