Projetos do Ano 2021 da DNDi reconhece parceiros e colegas por seu trabalho no desenvolvimento de novos tratamentos para leishmaniose visceral e doença do sono

iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas (DNDi) tem o prazer de anunciar dois Projetos do Ano 2021, que reconhecem o trabalho das equipes de P&D da DNDi e nossos principais parceiros por seu notável progresso nas áreas de drug discovery e pesquisa clínica. Indicado pelo Comitê Científico da DNDi e selecionado pelo Conselho Executivo da DNDi, o prêmio 2021 reconhece duas entre as mais de 50 iniciativas ativas no portfólio de projetos de P&D da DNDi. 

Otimização da série química S07 para leishmaniose visceral  para leishmaniose visceral: projeto do Ano 2021 na área de drug discovery 

Os tratamentos existentes para a leishmaniose visceral podem ser dolorosos, tóxicos, longos, caros e mal adaptados para o uso nas comunidades mais afetadas. Para fornecer às pessoas de todas as idades opções de tratamento mais seguras, simples e eficazes, a DNDi e seus parceiros estão descobrindo novos compostos que podem ser desenvolvidos como medicamentos orais. 

série S07 é o primeiro projeto que surge da otimização de leads do NTD Drug Discovery Booster, um consórcio global de empresas farmacêuticas que abriram suas bibliotecas com milhões de moléculas exclusivas para que pesquisadores possam examiná-las in silico e in vitro para identificar potenciais tratamentos para doenças tropicais negligenciadas. Com o apoio do Fundo Global de Inovação Tecnológica em Saúde (GHIT, na sigla em inglês), entre outros doadores, mais de 18.000 compostos foram testados para atividade antiparasitária até o momento por meio desta iniciativa internacional. 

Seguindo os esforços do Discovery Booster em parceria com a Takeda Pharmaceutical Company Limited para identificar e desenvolver novos compostos contra a leishmaniose visceral, a colaboração DNDi-Takeda agora avança com a otimização dos principais compostos da série S07 para aumentar ainda mais seus perfis de segurança e eficácia. Com o apoio do Fundo GHIT, a parceria visa desenvolver um lead otimizado para oferecer um candidato a composto em fase pré-clínica até 2023. 

‘A série S07 é um excelente exemplo dos progressos alcançados por nossas parcerias de drug discovery na busca por ferramentas para atender às necessidades dos pacientes e atingir as metas globais para doenças tropicais negligenciadas’, disse o Dr. Laurent Fraisse, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da DNDi. ‘Parabenizamos a Takeda e a equipe de drug discovery da DNDi por este avanço, que demonstra que colaborações inovadoras como o NTD Drug Discovery Booster podem desempenhar um papel importante na aceleração da descoberta científica e de inovações médicas.’ 

Acoziborol para a doença do sono – Projeto do Ano de 2021 em pesquisa clínica 

O objetivo da DNDi é revolucionar o tratamento da doença do sono – ou tripanossomíase humana africana (HAT, na sigla em inglês) – substituindo medicamentos tóxicos e pesados por tratamentos simples e totalmente orais que podem ajudar a eliminar a doença por completo. Em 2018, a DNDi e seus parceiros concluíram o desenvolvimento do primeiro tratamento totalmente oral para a doença do sono, o fexinidazol. 

Juntamente com a Sanofi, nosso parceiro industrial para produção do fexinidazol, trabalhamos agora no desenvolvimento do acoziborol, um tratamento oral de dose única para a doença do sono que pode ser administrado no momento do diagnóstico. 

‘O acoziborol pode trazer um progresso gigantesco para programas de ‘testar e tratar’ para a doença do sono – particularmente em comunidades remotas e locais afetados por conflitos e instabilidade – e ajudar a ancorar os esforços para a eliminação da doença’, disse o Dr. Fraisse. ‘Estes avanços em desenvolvimento clínico não seriam possíveis sem o compromisso constante da Sanofi, do Institut National de Recherche Biomédicale (INRB) da República Democrática do Congo (RDC), dos Programas Nacionais de Controle de HAT da RDC e da Guiné e da equipe para a doença do sono da DNDi.’ 

Em 2012, o acoziborol se tornou a primeira nova entidade química a entrar em fase de desenvolvimento clínico a partir do próprio programa de otimização de leads da DNDi. No ano passado, nossas equipes concluíram o acompanhamento pós-tratamento de 18 meses com o medicamento para todos os pacientes participantes do ensaio clínico de fase II/III da DNDi na República Democrática do Congo (RDC) e na Guiné. Após sua aprovação, a Sanofi será responsável pela fabricação, fornecimento, registro e distribuição do acoziborol. O tratamento será fornecido aos pacientes gratuitamente através dos sistemas de saúde pública dos países afetados, graças a uma colaboração de 20 anos entre a Sanofi e a Organização Mundial da Saúde.