A participação da DNDi no WorldLeish 7

Entre os dias 01 e 06 de agosto aconteceu a sétima edição do WorldLeish, evento global para leishmaniose, este ano sediado na cidade de Cartagena, na Colômbia. Organizado pelo PECET – Programa de Estudio y Control de Enfermedades Tropicales, da Universidade de Antioquia (COL), o evento reuniu cerca de 1500 pesquisadores, profissionais da saúde, estudantes e jornalistas, para tratar dos avanços nas pesquisas sobre leishmaniose em diferentes regiões globais. O encontro promoveu assim o intercâmbio de conhecimento para controle, diagnóstico e tratamento para a doença, trazendo pontos de vista multidisciplinares e diferentes abordagens científicas entre atores-chave, grupos de pesquisa e organizações que trabalham com leishmaniose em todo o mundo.

A DNDi esteve presente em diversos painéis, liderados ou com participação de nossos especialistas, os quais apresentaram nossos principais avanços na pesquisa e condução de ensaios clínicos até estratégias para promoção do acesso a melhores tratamentos para os diferentes tipos de leishmaniose nos países endêmicos, abrangendo as diferentes regiões de atuação da organização.

No segundo dia de evento, conduzindo a sessão plenária, Dr. Bernard Pécoul, Diretor Executivo da DNDi, apresentou um panorama dos tratamentos atuais para a doença, assim como suas respectivas limitações, passando também por todas as barreiras de acesso a medicamentos e sua contribuição, como também a relevância do trabalho da DNDi desde sua origem. Ao final do painel, Dr. Bernard apresentou o lançamento do nosso novo curta-metragem “From neglect to hope: voices of leishmaniasis”.

Foram apresentados avanços promissores da DNDi em Drug Discovery, abordando pesquisas e projetos colaborativos que compõem o portifólio de NCEs (novas entidades químicas) para as leishmanioses, partilhando o valor da inovação e da cooperação para responder às necessidades das populações negligenciadas afetadas pela doença em países endêmicos. A agenda deu destaque também às novas recomendações para o tratamento da leishmaniose nas Américas, divulgadas no último mês de junho pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), que considerou as evidências geradas através de estudos liderados pela DNDi e parceiros.

Com destaque para a atuação em rede coordenada pela DNDi para promover a aceleração da pesquisa e a troca de conhecimento sobre leishmaniose, foi realizada uma cerimônia especial envolvendo a redeLEISH, a (Rede de pesquisa clínica para leishmaniose) e a LEAP (Plataforma da Leishmaniose da África Oriental). A premiação reconheceu os progressos recentes nos estudos de investigação clínica que avaliam a combinação de miltefosina e paramomicina para o tratamento da leishmaniose visceral na África Oriental e o desenvolvimento do imunomodulador CpG-D35 para o tratamento da leishmaniose cutânea – reforçando o valor das parcerias e alianças nessas e em outras iniciativas da DNDi que trabalham para trazer a melhor ciência para as populações mais negligenciadas.

Na ocasião, a redeLEISH, divulgou um manifesto apelando à comunidade científica e às autoridades de saúde para que dêem prioridade urgente ao desenvolvimento de instrumentos de diagnóstico simples para a leishmaniose cutânea (CL).

Ressaltando a importância da comunicação no contexto das doenças negligenciadas, a DNDi liderou também um simpósio, dedicado a apresentar diferentes formatos, ferramentas e estratégias para comunicar sobre ciência e leishmaniose para um público não científico. A sessão teve a atuação de profissionais de jornalismo científico atuantes em diversos meios de comunicação, bem como pesquisadores que trabalham a comunicação e a ligação entre a saúde e as desigualdades sociais. Mais especificamente no cenário da leishmaniose na Colômbia, foram trazidas as experiências em temas como conflitos armados, a deflorestação e a situação de populações negligenciadas em áreas remotas.