Juntos para lembrar que a doença de Chagas pode e deve ser tratada

[Barcelona, Espanha – 13 de abril de 2018]
A doença de Chagas pode e deve ser tratada. Esta é a mensagem que a Coalizão Global de Chagas, da qual a Iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas (DNDi) faz parte, parceiros e aliados deseja lembrar para o próximo 14 de abril. Este é o dia mundial das pessoas afetadas por esta doença, mais de cem anos após o primeiro diagnóstico feito pelo médico brasileiro Carlos Chagas.

DNDi e Ministério da Saúde e Previdência Social da Colômbia assinam acordo para garantir o acesso à atenção integral de pacientes com a doença de Chagas

[Bogotá, Colômbia – 14 de abril de 2018]
O objetivo é melhorar o acesso ao diagnóstico e ao tratamento para as pessoas afetadas pela doença.
Um acordo de cooperação para facilitar e fortalecer o acesso ao diagnóstico e tratamento para os pacientes de Chagas e outras doenças de interesse para a saúde pública foi firmado pelo Ministério de Saúde e Proteção Social da Colômbia e a Iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas (DNDi, na sigla em inglês).

#vencerChagas: a força do futebol na Copa do Nordeste a favor da saúde

[Rio de Janeiro, 12 de abril de 2018]
Se você é daqueles que dá o sangue pelo futebol, aproveite e faça o teste diagnóstico da doença de Chagas. O tratamento existe, é gratuito e está disponível pelo sistema público de saúde. No Brasil, 1,2 milhão de pessoas tem a doença de Chagas, poucas sabem disso e um número ainda menor já fez o tratamento. Para ajudar a mudar esta realidade, os organizadores da Copa do Nordeste e a Iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas se uniram pelo segundo ano consecutivo na campanha #vencerChagas, veiculada durante o campeonato.

 

Nova terapia com combinação de tratamentos mais acessível economicamente contra a hepatite C, apresenta 97% de taxa de cura

Paris, 12 de abril de 2018

Resultados refoçam uma abordagem de saúde pública para a hepatite C  

Uma nova terapia, com combinação de dois diferentes tratamentos, e com custo mais acessível para o tratamento da hepatite C demonstrou segurança e eficácia, com taxas de cura extremamente altas entre os pacientes, incluindo casos difíceis de tratar. O tatameto inclui um novo candidato a fármaco, ravidasvir, e os resultados provisórios são do estudo Fase II/III STORM-C-1, apresentado pela organização de pesquisa e desenvolvimento sem fins lucrativos (Iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas (DNDi, pelas siglas em inglês de Drugs for Neglected Diseases initiative) – DNDi) durante a International Liver Conference, que acontece até  dia 15 de abril em Paris.

Estudos de fase II e III comprovam alta eficácia e segurança do fexinidazol, primeiro tratamento oral para a doença do sono africana

[Genebra – 4 de novembro de 2017]

Resultados abrem possibilidade de mudança de paradigma no tratamento de uma doença fatal
O primeiro tratamento exclusivamente oral para a doença do sono, a tripanossomíase africana humana, provocada pelo Trypanosoma brucei gambiense (g-HAT), teve a eficácia e segurança comprovadas por estudos clínicos liderados pela Iniciativa de Medicamentos para Doenças Negligenciadas (DNDi) e seus parceiros, publicado hoje em The Lancet.

Malásia emite licença de medicamento para garantir o acesso da população ao tratamento da Hepatite C

[Kuala Lumpur e Genebra – 20 de setembro de 2017]
DNDi celebra iniciativa da Malásia para garantir o acesso a tratamentos mais baratos para a hepatite C
A Malásia emitiu uma licença de “uso governamental” que permite o acesso a versões mais baratas de um medicamento caro e patenteado para o tratamento da hepatite C. Essa decisão histórica deve ajudar as mais de 400 mil pessoas vivendo com hepatite C na Malásia a ter acesso ao sofosbuvir, podendo ter repercussões importantes no esforço global que é feito para garantir o acesso a caros tratamentos para esta doença.

Copa do Nordeste e DNDi lançam campanha contra Chagas no Brasil

[Rio de Janeiro, Brasil – abril de 2017]

Copa do Nordeste e Iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas se unem na luta contra a doença de Chagas

  • DNDi busca melhorar a atenção prestada as pessoas atingidas pela doença – são mais de 1,2 milhão no Brasil oficialmente.
  • Novo consenso de tratamento brasileiro indica que país pode ter mais de três milhões de pessoas com a doença.

Novo consenso para tratamento de pacientes com Chagas

[Maceió, Alagoas – agosto de 2016]

Nova diretriz pode ajudar a retardar a progressão da doença, diminuir a chance de transmissão congênita, e qualificar de forma geral a atenção prestada às pessoas atingidas pela doença.
Após mais de uma década de expectativa será lançado em Maceió o Novo Consenso Brasileiro em Doença de Chagas durante o 52º Congresso Brasileiro de Medicina Tropical que acontece na capital de Alagoas de 21 a 24 de agosto. A atividade de lançamento ocorrerá no dia 22 de agosto pela manhã, em meio à abertura da XXXI Reunião Anual de Pesquisa Aplicada em Doença de Chagas & XIX Reunião de Pesquisa Aplicada em Leishmanioses, ChagasLeish 2016 – Compromissos da Ciência, Tecnologia e Inovação com o Sistema Único de Saúde.

DNDi, Mundo Sano e Chemo se unem para garantir acesso ao tratamento de Chagas nas Américas

[Kuala Lumpur e Genebra – 20 de setembro de 2017]
DNDi, Mundo Sano e Chemo se unem para registrar benznidazol nos Estados Unidos e América Latina.
Numa tentativa de reverter uma situação em que menos de 1% das pessoas com doença de Chagas têm acesso ao tratamento, a organização sem fins lucrativos para desenvolvimento de medicamentos DNDi (iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas), o laboratório farmacêutico Chemo Group e a fundação filantrópica Mundo Sano estabelecem um acordo formal de colaboração para incrementar o uso do benznidazol. O objetivo é tornar o benznidazol, medicamento essencial no tratamento de Chagas, financeiramente acessível, registrado em países afetados por essa doença fatal, incluindo os Estados Unidos. Se o laboratório Chemo conseguir uma revisão prioritária pelo FDA americano, se compromete a empregar metade da receita a ações que beneficiem pacientes portadores de doença de Chagas.

Consórcio internacional anuncia testes de tratamento de baixo custo para hepatite C

[Barcelona, Espanha – 13 de abril de 2016]
Combinação de ravidasvir e sofosbuvir com potencial para tratar todos os subtipos da doença e preço estimado em menos de US$300 será testada na Malásia e Tailândia.
A iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas (DNDi, pelas siglas em inglês de Drugs for Neglected Disease Iniciative) e o laboratório farmacêutico egípcio Pharco Pharmaceuticals assinam acordo para a realização de testes clínicos com objetivo de ampliar a oferta de medicamentos para hepatite C por menos de US$300.

DNDi lança novo plano de negócios

[Basileia, Suíça – 07 de setembro de 2015]
Iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas lança novo plano de negócios com foco em pacientes negligenciados.
Objetivo é desenvolver de 16 a 18 tratamentos para 10 doenças com investimento de 650 milhões de euros.

DNDi Recebe US$ 2,34 Milhões para Leishmanioses

[Genebra, Suíça – 2 de outubro de 2015]
O projeto foi batizado de “Iniciativa Global de Acesso e P&D em Leishmanioses”.
A iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas (DNDi) recebeu do novo fundo comum para Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), criado pelos Estados-Membros da Organização Mundial da Saúde (OMS) e administrado pelo Programa Especial para Pesquisa e Treinamento em Doenças Tropicais (TDR/OMS), uma verba de US$ 2,34 milhões para um projeto de P&D em grande escala voltado para as leishmanioses.

DNDi e quatro farmacêuticas japonesas lançam ‘Drug Discovery Booster’ para leishmaniose e Chagas

[Genebra, Suíça; Osaka e Tóquio, Japão; Londres, Reino Unido – 28 de maio de 2015]
Projeto de aceleração e ampliação de descoberta de novos medicamentos para duas doenças altamente negligenciadas: a leishmaniose e a doença de Chagas.
Com o Drug Discovery Booster, pela primeira vez, várias empresas se envolvem em um único projeto com a DNDi na abordagem de doenças tropicais negligenciadas, com apoio do Fundo Global de Inovação Tecnológica em Saúde, do Japão.

Rede Leish realiza seu Segundo Encontro na Colômbia

[Bogotá, Colôlmbia – 1 de julhio de 2015]
Rede de Pesquisadores e Colaboradores em Leishmanioses promove encontro na Colômbia.
A Rede de Pesquisadores e Colaboradores em Leishmanioses (Rede Leish) promoverá um encontro de investigação científica sobre a doença em Medelín, Colômbia, de 1 a 3 de julho. Além da representação do Brasil, este segundo Encontro da Rede Leish reunirá especialistas da Bolívia, Colômbia, Guatemala, México, Panamá, Peru e Venezuela.

MSF e DNDi propõem criação de fundo para inovações em saúde

[Genebra, Suíça, 11 de maio de 2015]
O objetivo do fundo e mecanismo de pesquisa e desenvolvimento biomédico é atender as necessidades urgentes mundiais em saúde.
Um grupo global de renomados especialistas em saúde, dentre eles integrantes das organizações Médicos Sem Fronteiras (MSF) e da iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas (DNDi), propõe a criação de um fundo e de um mecanismo que propicie a pesquisa e o desenvolvimento (P&D) em saúde com o objetivo de suprir deficiências mortais em inovações voltadas a doenças infecciosas como Ebola, resistência antimicrobiana e uma série de outras enfermidades atualmente negligenciadas pelo mercado farmacêutico.

Superando as barreiras de acesso ao diagnóstico e tratamento da doença de Chagas na Colômbia

[Bogotá, Colômbia – 23 de abril de 2015]
Ministério da Saúde e parceiros fazem recomendações visando superar barreiras para o acesso ao diagnóstico e tratamento da doença de Chagas na Colômbia.
Reunidos em Bogotá em um seminário internacional, especialistas da Colômbia e de outros países, representantes do Sistema de Previdência Social em Saúde, de gestão do conhecimento, da sociedade civil e de entidades de cooperação internacional discutiram passos para reformar e fortalecer propostas que assegurem o direito das pessoas afetadas pela doença de Chagas à saúde, assim como uma proposta de implementação de um projeto modelo em nível regional e nacional para o tratamento da enfermidade.

DNDi e Ruta N firmam acordo

[Rio de Janeiro e Medellín, Colômbia – 25 de novembro de 2014]
Firmada parceria estratégica para o desenvolvimento de terapias inovadoras imprescindíveis na América Latina contra doenças negligenciadas.
Ruta-N e DNDi assinaram uma aliança estratégica, com contribuição inicial de US$ 647,5 mil contra a leishmaniose, doença com mais de 64 mil novos casos em média por ano na América Latina, sendo mais de 60% no Brasil e na Colômbia.