Quais são os tratamentos atuais e suas limitações?

O número de tratamentos aumentou na última década, mas ainda há vários inconvenientes tais como dificuldade de administração, duração do tratamento, toxicidade, custo e crescente resistência dos parasitas aos medicamentos:

  • Antimoniais pentavalentes: tóxicos e cada vez menos eficazes devido à resistência; 30 dias de tratamento parenteral em ambiente hospitalar
  • Anfotericina B: toxicidade dose-relativa; 15 a 20 dias de tratamento intravenoso em ambiente hospitalar
  • Anfotericina B lipossomal (AmBisome®): excelente, mas cara
  • Paromomicina: registrada na Índia, mas eficácia ainda não determinada na África
  • Miltefosina: primeiro medicamento oral registrado na Índia. Contudo é caro e teratogênico

 

Young girl being treated for leishmaniasis

 

 

 

 

 

 

 

 

Imagem: Fábio Nascimento – DNDi