Carta de Santa Cruz

No dia 15 de novembro de 2018, os membros da Plataforma Chagas[1] e da Coalizão Global de Chagas[2], presentes na VIII Reunião da Plataforma Chagas em Santa Cruz de la Sierra, Bolívia, assinaram esta carta dirigida a governos, organizações e doadores pedindo que intensifiquem seus esforços para controlar e eliminar a doença de Chagas como um problema de saúde pública.

Sociedade Brasileira de Medicina Tropical 29/04/2019

“Doença de Chagas: tratamento mais curto traz esperança para milhões de pessoas afetadas pela doença”

Leia a matéria

O Globo 14/03/2019

“Tratamento mais curto para doença de Chagas pode ter mesma eficácia e ser mais seguro”

Leia a matéria

Diretor do Programa de Chagas da DNDi esclarece mitos e verdades sobre a doença

De tempos em tempos, a doença de Chagas ganha as páginas dos jornais. Esta semana, a notícia de que que 14 pessoas de uma mesma família foram infectadas pela doença ao tomar um suco contaminado com o parasita Tripanossoma cruzi, causador da doença, trouxe à luz essa doença geralmente marcada pelo silêncio e pela negligência. Nesta entrevista, o Dr. Sergio Sosa Estani, diretor do programa de Chagas da DNDi esclarece mitos e verdades sobre a doença de Chagas.

A Agência Europeia de Medicamentos recomenda o uso do fexinidazol, o primeiro tratamento exclusivamente oral para a doença do sono

[Paris e Genebra – 16 de novembro de 2018]

O Comitê dos Medicamentos para Uso Humano (CMUH) da Agência Europeia de Medicamentos emitiu uma opinião científica positiva sobre o fexinidazol, o primeiro tratamento exclusivamente oral que se mostrou eficaz em ambos os estágios da doença do sono. Esta recomendação é resultado de ensaios clínicos liderados pela DNDi, organização sem fins lucrativos de pesquisa e desenvolvimento, e de um pedido de registro submetido pela Sanofi. A decisão abre o caminho para a distribuição do fexinidazol nos países afetados a partir de 2019.

A Plataforma de Pesquisa de Chagas pede a governos e organizações internacionais que intensifiquem esforços para eliminar a doença como problema de saúde pública

[Santa Cruz de la Sierra, Bolívia – 15 de novembro de 2018]

Pesquisadores e expertos internacionais, reunidos em Santa Cruz de la Sierra, acordam um documento no qual expõem medidas prioritárias para avançar com os compromissos adquiridos na luta contra Chagas.

Os membros da Plataforma de Pesquisa Clínica de Chagas e a Coalizão Global de Chagas, reunidos em Santa Cruz de la Sierra, assinaram hoje um documento dirigido aos governos, organizações internacionais e doadores, no qual são estabelecidas demandas prioritárias para avançar na luta contra a doença.

Carta de Santa Cruz

No dia 15 de novembro de 2018, os membros da Plataforma Chagas[1] e da Coalizão Global de Chagas[2], presentes na VIII Reunião da Plataforma Chagas em Santa Cruz de la Sierra, Bolívia, assinaram esta carta dirigida a governos, organizações e doadores pedindo que intensifiquem seus esforços para controlar e eliminar a doença de Chagas como um problema de saúde pública.

Secretaria de Estado da Saúde de Goiás 09/10/2018

“Organizações internacionais conhecem trabalho goiano contra doença de Chagas”

Leia a matéria

Pessoas afetadas por Chagas do mundo todo juntam suas vozes em um único grito no México

[Cidade do México, 4 de outubro de 2018]

A nova liderança da Federação Internacional de Associações de Pessoas Afetadas por Chagas será presidida pela associação mexicana AMEPACH

A nova direção da Federação Internacional de Associações de Pessoas Afetadas por Chagas (FINDECHAGAS), eleita na V Assembléia Bienal realizada este ano na cidade de Xalapa, Veracruz, apresenta hoje suas propostas paradar visibilidade à realidade dos mais de oito milhões de pessoas afetadas por este problema de saúde global.

Fiocruz e DNDi lançam Programa de Eliminação de Barreiras

[Recife, Brasil – Setembro de 2018]

Parceria busca melhorias no acesso a diagnóstico e tratamento da doença de Chagas no Brasil

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e a organização internacional DNDi (Iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas) lançam, no dia 5 de setembro, durante o Congresso Brasileiro de Medicina Tropical, o Programa de Eliminação de Barreiras, uma parceria para melhorar o acesso a diagnóstico e tratamento para a doença de Chagas no Brasil. Segundo o Ministério da Saúde, entre 1,9 e 4,6 milhões sofrem da doença no país, que, sendo assintomática em sua fase aguda, costuma progredir silenciosamente e pode afetar órgãos vitais como o coração na fase crônica, o que representa risco de vida para a pessoa infectada.